3 grandes “presepadas” que o Google já cometeu

Você já montou uma escrivaninha que mal parava em pé, com as gavetas todas tortas? Entrou sem querer na contra mão e tomou aquela multa básica? Não ligou o chuveiro novo direito e queimou? Não tem problema, pelo menos os seus erros não custaram milhares de dólares!

Nós já sabemos que gigantes da indústria também erram, embora muitas vezes algumas dessas coisas passem batido. Para começar bem a semana e lembrar você que erros fazem parte da vida, trazemos hoje 3 grandes presepadas do Google, uma das maiores empresas do mundo!

Ferramentas “racistas”

Dois erros aqui se destacam como grandes presepadas do Google: A primeira foi um erro numa ferramenta de reconhecimento automático do Google Photos, que identifica padrões em imagens e separa todas em categorias para o usuário. Nesse caso, a ferramenta enquadrou fotos de centenas de usuários negros na categoria de “Gorilas”. Na época, o Google pediu desculpas pelo ocorrido e prometeu solucionar o problema rapidamente. “Isso é 100% inaceitável”, declarou Yonatan Zunger, chefe de arquitetura do Google+ e responsável pelo serviço de fotos.

Ferramenta classificou usuários negros como
Ferramenta classificou usuários negros como “Gorilas”

Outro caso marcante foi durante o mandato do presidente Barack Obama. Até Maio de 2015, qualquer usuário que digitasse no Google Maps as frases “nigger house” (casa de preto), ou “nigger king” (preto rei), era redirecionado à Casa Branca, residência oficial do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. No país, ‘nigger’ é uma palavra usada para designar de maneira ofensiva as pessoas negras.

Google Glass

Anunciado em 2012, o Google Glass foi uma das primeiras iniciativas de Realidade Aumentada (AR) que visava abranger uma boa parte do público e popularizar a tecnologia. No entanto, a ferramenta estar sempre conectada com a internet e podendo filmar praticamente tudo que o usuário fizesse foi um fator crucial para afastar o público.

Imagem de divulgação do Google Glass, um dos primeiros
Imagem de divulgação do Google Glass, um dos primeiros “óculos inteligentes” do mercado

Além disso, boa parte dos consumidores pensaram que um produto considerado tão invasivo quanto à privacidade das pessoas não valeria um investimento de US$1500,00. Com isso, o Google retirou o dispositivo do mercado e apenas disponibilizou versões voltadas para o meio corporativo.

Google Nexus Q

Anunciado também em 2012, o Google Nexus Q prometia ser um “gadget inteligente” atuando como uma central multimídia. No entanto, a versão básica não vinha nem com alto-falantes, e nem com os cabos necessários. Já o modelo “premium” só reproduzia conteúdos do YouTube e do antigo Google Play Music.

Google Nexus Q nunca chegou de fato ao mercado
Google Nexus Q nunca chegou de fato ao mercado

Após os primeiros feedbacks dos usuários, a empresa decidiu adiar o lançamento do produto, mas a estreia oficial acabou nem acontecendo. A empresa apenas enviou alguns protótipos gratuitamente para clientes selecionados e o projeto deve ter sido engavetado após o sucesso da linha de speakers inteligentes Echo da Amazon.

Pronto, agora você pode começar a semana sem medo de errar, pois o Google já errou por você! Que tal dar uma nova chance para aquele projeto que não funcionou? Temos todas as peças necessárias para você na nossa Loja, confere lá!

Compartilhe: